Home > 2018/11 - São Paulo, BRA, Yu-Gi-Oh! Championship Series > YCS São Paulo, Brasil: Entrevista com o Juiz Principal

YCS São Paulo, Brasil: Entrevista com o Juiz Principal

November 17th, 2018

Além de ser o maior YCS da América do Sul, o YCS São Paulo é o primeiro grande evento a contar com a presença de um Juiz Principal brasileiro.

Os juízes de Yu-Gi-Oh! ESTAMPAS ILUSTRADAS desempenham o importantíssimo papel de assegurar que todos os Duelistas tenham uma experiência consistente, justa e agradável de acordo com os padrões estabelecidos no programa de Duelos Organizados da Konami.

Em Eventos Première, como o Yu-Gi-Oh! Championship Series, os juízes são orientados pelo Juiz Principal – a autoridade máxima dos torneios. Ele é responsável por fazer os anúncios do evento, instruir a equipe de juízes, aplicar possíveis penalidades e tem o poder de decisão final sobre todas as questões políticas do torneio.

Conversamos um pouco com Jonathan Rios, o Juiz Principal do YCS São Paulo. Confira a entrevista abaixo:

P: Qual seu nome, idade e nacionalidade?
R: Meu nome é Jonathan Rios, tenho 30 anos e sou brasileiro.

P: Há quanto tempo você Duela em Yu-Gi-Oh! e como conheceu o card game?
R: Conheci Yu-Gi-Oh! através da série animada na TV, quando tinha mais ou menos 14 anos. Consegui meu primeiro Deck Estrutural em 2010, quando comecei a Duelar de verdade. Depois, em 2011, participei do meu primeiro evento oficial e não parei até me tornar juiz em 2014.

P: Conte-nos um pouco sobre a sua experiência como juiz. Você se lembra de quantos eventos de Yu-Gi-Oh! chegou a apitar?
R: Sem contar os eventos menores, como Regionais, Demo Days e outros, apitei 4 Nacionais, 4 Continentais e 8 YCS’s, contando o YCS São Paulo.

P: Qual foi o momento mais memorável da sua trajetória como juiz?
R: Em 2014, no Continental do Chile,  viajei pela primeira vez para o exterior fazendo algo que gosto. Isso foi muito marcante, até porque eu era o único brasileiro apitando na época. Mas houveram outros momentos memoráveis além desse. Em 2015, quando fiz parte da equipe de checagem de Decks eu descobri que não tinha muita aptidão para essa tarefa. Felizmente, isso fez com que eu percebesse que o meu caminho era atuar diretamente como juiz  de campo. Isso me trouxe ao YCS de hoje, em que me tornei o primeiro brasileiro a vestir a camisa vermelha de Juiz Principal.

P: Qual conselho você daria para alguém que deseja se tornar um juiz?
R: Primeiro, entre no site oficial e realize as duas provas primárias, que consistem no conhecimento de regras (RC-1) e políticas (PC-1). A partir disso, você responde ao formulário e passa a fazer parte do programa. Contudo, o juiz não se torna juiz apenas por obter essa certificação. Você precisa ser ativo. Portanto, quando passar nesses exames, procure as lojas locais que precisam de suporte e comece a apitar. O trabalho dos juízes, apesar de voluntário, geralmente é recompensado de acordo com o seu esforço. Mas, acima de tudo, se trata de um trabalho voluntário em prol de uma comunidade melhor.

P: Como você se sente em ser o Head Judge do maior evento de Yu-Gi-Oh! que a América Latina já hospedou em toda a sua história?
R: É uma sensação forte. Bem forte, eu diria. Embora eu tenha ocupado muitas posições de liderança ao longo dos anos, eu sempre estive habituado a recorrer em situações e pedir conselhos ou fazer perguntas aos meus colegas juízes. Desta vez, quando faço perguntas, eles dizem: “Você decide, você é o Juiz Principal!”. Talvez a palavra mais próxima seria “poderoso”, mas é mais uma questão de sensação de responsabilidade. Por incrível que pareça, embora eu não fique andando o tempo todo pelo torneio, essa função exige muita concentração em comparação às outras que já realizei.

P: Se você pudesse descrever Yu-Gi-Oh! em apenas algumas palavras, quais seriam?
R: Emocionante. Me sinto suficientemente a vontade com Yu-Gi-Oh! para dizer que não há outro card game que ofereça uma interação tão verdadeira.

P: Para finalizar, qual é o seu Card ou Deck favorito?
R: Essa é uma pergunta bem difícil! Eu tenho um carinho especial pelo Deck de Mago Negro. Parece clichê, mas eu acho incrível. Mas provavelmente o Deck que mais gostei ao longo da vida foi o Quick Draw Synchro, da era 5D’s. Basicamente, era uma mistura de plantas que faziam muitas coisas, era bem versátil. Sinto muita falta desse formato, foi um dos melhores.

Agradecemos ao Jonathan pela entrevista. E também a todos os juízes que estão fazendo o YCS São Paulo ser tão incrível! Muito obrigado!

Saiba mais sobre o Programa de Juízes de Yu-Gi-Oh! ESTAMPAS ILUSTRADAS clicando aqui.

Autor: Diego Ortiz